× Capa Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Contato
Firmínio dos Hades
Textos

Entre o Lírio e o Martírio


Eu pedi gozos fundos ao Lírio.
Mui sincero, ele disse-me: “Não”.
Meu desejo apanhou. Só Martírio
Nesse instante se fez meu irmão.

Era frígida a noite. Um caixão,
Produzido por negro delírio,
Desmanchava-se em gritos de não.
Ante as portas malditas do Empíreo,

Muito triste, acendi mais um fumo
E outro copo de vinho tomei.
Ao meu lado, Martírio, sem rumo,

Delirava, sem Lírio, de vez.
Parecia que quilos de chumbo
Maltratavam minh’alma. Sangrei.
Firmínio dos Hades
Enviado por Firmínio dos Hades em 14/05/2015
Alterado em 10/06/2017
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários